Desculpem-nos o transtorno, página em manutenção


TIREOIDE EQUINA

    A glândula tireoide tem função importante no crescimento e maturação de órgãos, além de estimular o consumo de oxigênio, a síntese e o catabolismo de proteínas, controle do aumento da taxa metabólica, ajudar na regulação do metabolismo de lipídeos, dentre outras funções.

    Apesar de comprovada a existência, o hipertireoidismo é considerado raro nos equinos.

    O hipotireoidismo congênito (Bócio) ocorre em potros ao nascimento devido à deficiência ou ao excesso de iodo, ingestão de plantas goitrogênicas ou deficiência de selênio, todos relacionados à dieta da égua. Estes potros muitas vezes nascem fracos, com hipotermia, alopecia e anormalidades músculo esqueléticas, como contratura e ruptura de tendões e atraso no desenvolvimento ósseo.

    Existe uma grande discussão sobre a ocorrência de hipotireoidismo no cavalo adulto, com apenas poucos trabalhos que confirmam a presença de hipotireoidismo. Os sinais clínicos que caracterizam o hipotireoidismo são: letargia, intolerância ao frio, ganho de peso, gordura localizada, infertilidade, anidrose, rabdomiólise, intolerância ao exercício e anormalidade da pelagem.

    Pesquisadores concordam que muitos dos sinais clínicos do “hipotireoidismo” são semelhantes aos da Síndrome Metabólica Equina (E.M.S.) e da Disfunção da Pars Intermedia da Pituitária (P.P.I.D.) (previamente chamada de “Cushings”), portanto acreditam que a maioria dos casos suspeitos de hipotireoidismo no passado, na verdade eram casos de E.M.S. e P.P.I.D.

    Para o diagnóstico laboratorial do hipotireoidismo equino ou avaliação da tireoide, e dentro do que está disponível no mercado para equinos, os testes sugeridos são T4 total, T4 livre por diálise e T3 total. Gostaríamos de lembrar que não existe no mercado mundial um kit comercial para a dosagem do TSH equino. O kit comercial de TSH especifico para o canino e o kit humano não podem ser utilizados para os equinos.

    Existem vários fatores que podem alterar os valores de T4 total. Desta forma, não é caracterizado que o animal seja hipotireoideo, apesar do nível de T4 total estar abaixo da normalidade. Exemplos destes fatores são tratamentos com fenilbutazona ou corticosteróide, dietas ricas em energia, proteína, zinco e cobre, deficiência de selênio, a qualidade do pasto (chuva, fertilizantes, idade e maturidade), confinamento, estresse, transporte, mudança de rotina etc.

   Se desejar, entre em contato com o B.E.T. Laboratories para analisarmos o caso específico de cada animal e indicarmos os testes necessários para a avaliação da glândula tireoide.

 

·       Breuhaus, B.A, 2011 – Disorders of the Equine Thyroid Gland, Vet. Clin. Equine 27 (2011), 115-118.

 

 

 

Avaliação da função da Tireoide Equina 

Exames indicados:

T4 total, T4 livre por diálise e T3 total

 


Avaliação de suplementação com levotiroxina sódica 

Exame indicado:

Ttotal

Não administrar levotiroxina sódica na véspera da coleta da amostra sanguínea.