Desculpem-nos o transtorno, página em manutenção

 

PLACENTITE E VIABILIDADE FETAL 

    Em éguas com placentite ascendente, a mais comum das placentites, muitas vezes encontramos diminuição dos níveis de estrógenos totais, níveis aumentados ou normais dos progestágenos e diminuição da relaxina (que não está disponível comercialmente).

    As análises dos progestágenos e estrógenos totais são consideradas ótimos parâmetros laboratoriais para a avaliação da placentite ascendente. Por exemplo, nas éguas com 150 dias de gestação e estógenos totais > que 1.000 pg/ml, 80% delas chegarão ao parto, já as éguas que tiverem os valores de estrógenos totais < que 500 pg/ml, apenas 30% chegarão ao parto. Abaixo você pode encontrar uma tabela na qual são apresentados todos os valores de normalidade dos progestágenos e estrógenos totais durante a gestação e uma tabela com os valores de normalidade nos quinze dias que antecedem o parto. 


CONCENTRAÇÃO MÉDIA ANTES DO PARTO

Dias antes do parto

Progestágenos

(ng/ml)

Estrógenos totais (pg/ml)

15

4,8

3300

10

8,2

2100

9

10,1

1700

8

14,1

1600

7

21,0

900

6

25,0

850

5

27,0

600

4

29,0

550

3

31,0

400

2

35,0

410

1

36,0

300

 

 

Dias de gestação

Progestágenos

(ng/ml)

Estrógenos

(pg/ml)

0-dia de ovulação

<1,0

<200

2

1,0 - 3,0

<200

5-90

4,0 - 10,0

<200

100-110

4,0 - 10,0

<200

110-120

4,0 - 10,0

200 - 500

120-130

4,0 - 10,0

300 - 600

130-140

4,0 - 10,0

400 - 700

140-150

4,0 - 10,0

500 - 1.000

150-320

4,0 - 10,0

>1000

320-325

4,0 - 15,0

800 - 1.000

326-330

6,0 - 20,0

600 - 800

331-335

10,0 - 30,0

500 - 800

336-340

20,0 - 40,0

300 - 500

340 +

30,0 - 40,0 +

200 - 400

Pós-parto

< 20,0

< 200

 

 

        Ryan P., et al Pferdeheilkunde (1999)

        Douglas R.H., Theriogenology (2004)

        Shikichi M., et al Theriogenology (2017)

        Macpherson, M.L. & Malgorzata, A. P., The Practitioner (2020)

        Canisso I. F., et al Theriogenology (2020)